Exame pericial descarta violência sexual contra menino que morreu na UPA

Uma nota divulgada pela Polícia Militar de Nova Serrana e reproduzida por vários jornais levantou a suspeita de que um bebê de um ano e sete meses havia sofrido violência sexual e morrido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

A nota foi divulgada após a PM ter sido chamada até a unidade médica pelo médico e enfermeira que atenderam a criança e denunciaram a suspeita do abuso. Chegou a ser levantado a suspeita de que a violência teria sido praticada pelo pai biológico da criança ou pelo namorado da mãe, porém a perícia técnica descartou qualquer tipo de violência sexual, apontando que os ferimentos foram causados em decorrência de uma diarreia que já durava cinco dias.

Buscando esclarecer o assunto, a equipe do Jornal Popular entrevistou a mãe da criança que afirmou ter ficado despreocupada com as acusações desde o momento em que a hipótese foi levantada, por conhecer bem os dois suspeitos e ter a certeza de que eles jamais fariam algo desse tipo.

A mãe que está grávida de sete meses descartou ainda negligência médica por parte dos médicos que atenderam a criança ou mau atendimento na unidade médica, “foi uma fatalidade”, afirma.


Fonte: Jornal O Popular

Nenhum comentário