Incêndio em mata volta a ameaçar casas em Pitangui

Há cerca de dez dias as queimadas consomem a vegetação em diferentes pontos da cidade de Pitangui. Na noite desta segunda-feira (13), os focos foram em uma mata no Bairro Morada do Sol que ameaçava atingir casas. Segundo o Corpo de Bombeiros, o fogo estava a 100 metros das residências e foi necessário mais de 5 mil litros de água e ajuda do caminhão-pipa da Prefeitura de Pitangui para apagar as chamas. Na última quarta-feira (8), o fogo ameaçava atingir as residências que ficam próximas à Mata do Céu, em uma serra na área urbana. A Prefeitura afirmou que já estuda para os próximos anos a possibilidade de concessão de benefícios a servidores que ajudarem a combater incêndios nas matas da cidade.

De acordo com o sargento João Paulo, do 6º pelotão de Nova Serrana, os militares trabalharam no local das 23h de segunda-feira às 2h desta terça-feira (14). O fogo começou na mata fechada e foi necessário aguardar para iniciar o controle do incêndio. "Temos orientação de não combater chamas na mata fechada de 6h às 18h devido à baixa visibilidade e oferecer risco aos militares. Então, aguardamos o fogo chegar próximo a um local seguro para apagarmos as chamas que ameaçavam atingir as casas", contou.

Além da mata no Bairro Morada do Sol, os focos atingem várias regiões da cidade há cerca de dez dias. De acordo o sargento João Paulo, os bombeiros militares estão fazendo um trabalho em parceria com o Grupo de Atendimento Voluntário Emergencial (Gave). Ele diz que as chamas são apagadas, mas sempre retornam. "Trabalho há 12 anos com combate a incêndios e acredito que em Pitangui a maioria dos focos são criminosos. As pessoas colocam fogo na mata pensando que ele vai consumir pouca vegetação e depois apagar. Mas com o clima seco que estamos enfrentando, as chamas atingem proporções incontroláveis. É claro que existem incêndios de causas naturais, mas estes são minorias", destacou.
Nesta terça-feira (14), os brigadistas do Gave e do Corpo de Bombeiros retornam às matas de Pitangui para continuar o combate aos focos de incêndio. Já a Polícia Militar (PM) informou que como as chamas não oferecem risco à população não está sendo confeccionado Boletim Ocorrência (BO).

Providências
O secretário municipal de Meio Ambiente e Agricultura e também presidente do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Codema), Ricardo Lobato, confirmou que os incêndios já consumiram mais da metade da área verde da Mata do Céu. "Cerca de 70% da vegetação. O fogo também já atinge as matas da Rocinha e da Pedreira, em locais de difícil acesso, onde as labaredas chegam a três metros de altura", relatou.
Lobato lembra que há cerca de seis anos foi criado um grupo de brigadistas voluntários, mas a atuação do grupo não corresponde às expectativas. "Muita gente da sociedade civil e servidores públicos participaram do curso, ministrado por bombeiros. Mas, quando é preciso, como é o caso agora, só os servidores do município se dispõem. Os outros desaparecem", reclamou.
Para impedir que o problema se repita nos próximos anos, o secretário afirma que sugeriu ao prefeito, Marcílio Valadares, a concessão de benefícios a servidores que ajudarem a combater incêndios nas matas da cidade. "Concordamos que é preciso haver algum tipo de incentivo por parte da Prefeitura, por meio de folgas do trabalho ou mesmo pagamentos em dinheiro. Para isso, planejamos um novo curso de combate a incêndios para ocorrer em fevereiro ou março do ano que vem", explicou.
Fonte: G1

Nenhum comentário