Cruzeiro perde para São Paulo no Mineirão, mas avança às oitavas da Copa do Brasil

Foi no sufoco, mas o Cruzeiro conseguiu se classificar para as oitavas de final da Copa do Brasil. Com a vitória no Morumbi, o time celeste trouxe uma grande vantagem para o jogo de volta, em Belo Horizonte, mas não foi isso que se viu em campo, nesta quarta-feira, no Mineirão. O São Paulo imprimiu uma pressão imensa desde o primeiro minuto de jogo e venceu por 2 a 1, mas não levou, já que a Raposa fez 2 a 0, na capital paulista, na semana passada.

Lucas Pratto abriu o placar para o Tricolor aos 14 minutos do primeiro tempo. Thiago Neves, em cobrança de falta, empatou para a Raposa aos 15 da etapa final, enquanto Gilberto, em posição irregular, marcou o segundo dos paulistas.

Apesar da classificação, o Cruzeiro perdeu a invencibilidade de 21 jogos oficiais na temporada (16 vitórias e cinco empates).

Após garantir a vaga, o Cruzeiro volta a pensar no Campeonato Mineiro de olho agora na classificação para a final. No próximo domingo, às 18h, o time celeste enfrenta o América, no Mineirão. A Raposa joga pelo empate para avançar à decisão do Estadual.

O jogo

O São Paulo começou a partida pressionando o Cruzeiro em busca de um gol logo no início. O primeiro lance de perigo aconteceu aos cinco minutos. Pratto bateu da entrada da área e a bola desviou na marcação e subiu. Rafael saiu e deu um soco nela. Na sobra, Cícero chutou cruzado pela linha de fundo.

A pressão paulista aumentava à medida que o tempo passava. Aos dez minutos, Cueva recebeu livre na área e finalizou para fora, desperdiçando uma grande chance para o Tricolor.

Acuado, o Cruzeiro não conseguia sair do campo de defesa e acabou sofrendo o gol aos 14. Morato foi acionado pela esquerda e cruzou na medida para Lucas Pratto, que nem precisou saltar para cabecear no canto de Rafael. Agora, o time paulista precisava de mais um para levar a decisão da vaga para os pênaltis e dois para se classificar.

Depois de levar o gol, o Cruzeiro tentou reagir e ensaiou alguns ataques, mas nada que assustasse o São Paulo. A equipe paulista se segurou por um tempo e voltou à carga em busca do segundo. Pratto aproveitou lateral cobrado para dentro da área e bateu para grande defesa de Rafael. A bola ainda tocou na trave antes de sair.

Com o São Paulo todo no ataque, o contragolpe se apresentava para o Cruzeiro, que enfim conseguiu encaixar um aos 36 minutos depois de tanto sofrer pressão. Arrascaeta fez boa jogada em velocidade pela direita, passou por Rodrigo Caio, invadiu a área e tocou para Thiago Neves, que desviou para o gol. Mas Maicon chegou na hora para afastar o perigo.

A equipe celeste começou a se encontrar no jogo e tentou uma pressão no fim. Aos 37 minutos, a Raposa quase empatou. Diogo Barbosa deu uma caneta no adversário e cruzou para a área. Arrascaeta emendou e a bola passou raspando o travessão.

No início da segunda etapa, o Cruzeiro foi forçado a mexer. Manoel sentiu um problema no pé esquerdo em um lance isolado e precisou ser substituído por Caicedo. Mas antes da saída do zagueiro celeste, o São Paulo quase fez o segundo gol. Após cobrança de escanteio, Pratto desviou de cabeça e Jucilei esticou a perna, mas mandou para fora.

Mas em um lance parecido com o confronto de 2000, quando Rogério Pinheiro fez falta em Geovanni, na entrada da área, Rodrigo Caio tentou dominar a bola com o peito, mas furou. Arrascaeta foi esperto, tomou a frente e foi derrubado. Na cobrança de falta, Thiago Neves bateu, a bola desviou na barreira enganando o goleiro Renan Ribeiro.

Era o gol que desafogava o Cruzeiro. Agora, o São Paulo se via obrigado a fazer dois para se classificar, já que não era mais possível a decisão por pênaltis.

Os ânimos do São Paulo foram contidos por um momento. Enquanto isso, o Cruzeiro trocava passes para o tempo passar.

No entanto, o time paulista voltou a acreditar e passou à frente no placar novamente. Aos 33 minutos, a bola foi levantada na área celeste, Rodrigo Caio ajeitou de cabeça, Maicon ajeitou para Gilberto, impedido, bater para as redes.

A pressão tricolor era imensa, mas o Cruzeiro ainda conseguia se mandar o ataque. Aos 40, Ariel Cabral cabeceou no cantinho e Renan Ribeiro se esticou todo para salvar.

Cruzeiro 1 x 2 São Paulo

Cruzeiro: Rafael; Mayke (Henrique), Manoel (Caicedo), Léo e Diogo Barbosa; Hudson, Ariel Cabral, Rafinha, Thiago Neves e Arrascaeta (Alisson); Rafael Sobis. Técnico: Mano Menezes

São Paulo: Renan Ribeiro; Bruno (Jucilei), Maicon, Rodrigo Caio e Júnior Tavares; João Schmidt, Wesley, Cícero (Gilberto) e Cueva (Thomaz); Morato e Lucas Pratto. Técnico: Rogério Ceni

Motivo: jogo de volta – 4ª fase da Copa do Brasil
Data: 19 de abril de 2017, quarta-feira, às 19h30
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Gols: Lucas Pratto (14’/1º), Thiago Neves (15’/2º), Gilberto (33’/2º)

Cartão Amarelo: Júnior Tavares, Rodrigo Caio, Wesley (São Paulo)

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio - GO (FIFA)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva - GO (FIFA) e Bruno Raphael Pires - GO (FIFA)

Público: 36.193 presentes / 32.353 pagantes
Renda: R$ 1.105.337,00

Itatiaia

Nenhum comentário